_ARTIGO PO DE OSTRA

_ARTIGO PO DE OSTRA

Resumo
Neste estudo laboratorial iremos fazer a substituição do agregado fino (areia) na composição do concreto por pó de ostra, obtido a partir da moagem das conchas de ostras. O resíduo sólido (concha de ostra) é muito descartado a parti da culinária e do consumo de ostras nas orlas, e utilizado só que em pequena proporção para o artesanato, sendo assim na sua maioria sem destino correto para descarte.
Em laboratório serão produzidos corpos de provas com porções de 10% a 60% (intercalando de 10 em 10%) de substituinte e outros moldes sem só com areia para servir de referência. O traço a ser utilizado é de 1:2:3 (cimento: areia: Brita), dando assim um total de 28 corpos de prova. Todos serão submetidos ao ensaio de compressão, caracterizados e catalogados ao longo do estudo.
Submetendo os corpos de provas a teste de compressão obteremos a resistência a compressão do corpo de prova com o novo agregado (principal característica de resistência do concreto simples), e irmos comparar os resultados aos corpos sem a substituição e as variadas taxas de substituição. Um resultado positivo deste teste abrirá as portas para outros tipos de verificações.
Esse estudo visa também a redução de custos da construção civil local, pois a compra e transporte da areia tem um custo alto, verificando que o material escolhido para substituir tem em proporções favoráveis na região. Outro fator é a inovação voltada para as agressões ao meio ambiente, que com o novo material diminuiria consideravelmente.

Palavras-chave: Compressão, Concreto, Pó de Ostra, Agregado Fino, Resíduo Solido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *